Brasil +55 21 3211 2223 /  Australia +61 2 8005 8083 / info@telcomanager.com

Ambiente na nuvem, sua rede está preparada?


“Devido à necessidade urgente de migrar para o ambiente na nuvem, muitas empresas não avaliam integralmente todos os requisitos e necessidades para tal ação, que ocasiona por muitas das vezes em experiências negativas para os usuários como também para a área de TI.”

As soluções de TI baseadas em nuvem, são uma realidade no mercado atual. Aproximadamente, há 5 anos, a computação em nuvem tem ajudado muitas empresas a alavancar negócios e prospectar novas oportunidades.

A tendência é que no ano de 2017, o mercado na nuvem acelere ainda mais rápido, à medida que as empresas buscam ganhar eficiência e escalam seus recursos disponíveis para atender melhor os seus clientes.

Segundo a Forrest Research, (que é uma empresa americana de pesquisa de tecnologia na área de TI mundial), 38% dos mais de 1000 decisores norte-americanos e europeus de infraestrutura de TI, informaram que estão construindo nuvens privadas, com 32% adquirindo serviços de nuvem pública e o restante planejando implementar alguma forma de tecnologia na nuvem nos próximos 12 meses. Além disso, 59% dos entrevistados informaram que estavam adotando um modelo de nuvem híbrida.

Mas o que seria nuvem privada, nuvem pública e nuvem híbrida? A resposta é simples e impactará diretamente na linha de negócio da sua empresa.

A nuvem privada, nada mais é, do que um ambiente preparado e disponibilizado geralmente dentro do datacenter da empresa, com servidores físicos, links de dados e os demais componentes necessários, utilizando a rede da própria empresa, com o intuito de prover conexão para usuários externos utilizando os próprios recursos locais da empresa.

Ilustração dos tipos de cloud

Figura 1: Ilustração dos tipos de cloud: híbrida, pública e privada

Desta forma, com a nuvem privada, a sua empresa necessitará disponibilizar alguns componentes necessários, (tais como servidores onde estão hospedadas as aplicações necessárias) na rede DMZ, que fará uma ponte entre os usuários externos e os recursos locais que estão sendo providos dentro do datacenter da própria empresa.

Nuvem pública é o ambiente disponibilizado por meio de uma rede que é aberta para uso público, com os recursos não sendo providos diretamente do datacenter da empresa, e sim disponibilizados através de algum outro datacenter espalhado pelo mundo, através da rede WAN. Desta forma, o acesso é público, podendo ser realizado pela internet (WAN), todavia são requeridas as credenciais necessárias para que a conexão externa possa ser estabelecida. Neste ramo, a empresa Amazon Web Services, é uma das propulsoras nesta linha de negócio, tendo sido criada em 2016, e atualmente operando com valores em torno de 11 bilhões de dólares.

E a nuvem híbrida, é basicamente uma mescla da Nuvem privada e da Nuvem pública. Desta forma, a empresa disponibiliza recursos para os usuários externos, sendo alguns providos no próprio datacenter da empresa (rede DMZ) e outros em datacenter de terceiros.

As soluções baseadas em nuvem (tanto privada, pública ou híbrida) são uma realidade não só no mercado norte-americano e europeu, como também vêm sendo impulsionadas fortemente no mercado brasileiro. As principais razões para isto são:

  • Maior praticidade e facilidade para os usuários finais acessarem as aplicações necessárias, sem a necessidade de realizar alguma intervenção mais técnica.
  • Acessibilidade. Os dados podem ser acessados em qualquer lugar do mundo, basta apenas que haja acesso à Internet, não sendo mais restritos ao ambiente local de computação, nem dependendo de sincronização de mídias removíveis.
  • Reduz custos. Diminui a necessidade de manutenção da infraestrutura física de redes locais cliente/servidor, bem como da instalação dos softwares nos computadores, pois esta atribuição fica a cargo do provedor do software em nuvem, bastando apenas que os computadores clientes possuam acesso à Internet. Ainda existe a redução de custos com diminuição no consumo de energia, refrigeração e espaço físico, consequentemente contribuindo para a preservação e o uso racional dos recursos naturais.
  • Modelo de aquisição e utilização. A empresa não necessitará arcar com um custo de um software com licenciamento perpétuo, o que faz com o que o custo do software fique muito elevado, junto a manutenção. Levando em consideração que a área de TI sofre mudanças diariamente, ainda existirá uma possibilidade considerável de que em um período inferior a 5 anos, o software adquirido não atenda mais as expectativas e necessidades da empresa, sendo necessário arcar posteriormente com a aquisição integral de um novo software, tornando o investimento anterior realizado obsoleto.

A migração para os serviços baseados em nuvem, já é uma realidade no mercado brasileiro, e a tendência é que neste ano de 2017, a propulsão para este mercado seja ainda maior.

Tendo como base todas estas evidências, diversas empresas no Brasil têm trabalhado muito para se adequar a esta nova realidade. E a resposta para isto é simples e direta, é necessário reduzir custos e prover melhor funcionalidade e praticidade para os usuários finais. Um exemplo clássico é a aplicação Skype For Business que é encontrado em diversas empresas, e em sua maioria das vezes, hospedado na nuvem.

Devido à necessidade urgente de migrar para o ambiente na nuvem, muitas empresas não avaliam integralmente todos os requisitos e necessidades para tal ação, que ocasiona por muitas das vezes em experiências negativas para os usuários como também para a área de TI.

Desta forma, sua empresa hoje está preparada para o ambiente na nuvem?

Esta pergunta é simples, e na maioria das vezes existe uma concepção equivocada, de que um ambiente na nuvem, basta apenas possuir um acesso à internet e a contratação de um provedor externo, como a Amazon Web Services. Porém, sinto lhe informar que esta não é a realidade! Caso, estejamos falando de uma nuvem pública, ainda sim é necessário ter a constatação de que cada ponto de rede onde estará alocado cada usuário possuirá a banda mínima necessária para a conexão (esta informação é um pré-requisito mínimo, tanto para usuários que ficarão externamente, fora do escritório, como para usuários que ficaram alocados internamente, dentro da empresa), caso contrário o seu serviço na nuvem estará no mínimo prejudicado parcialmente.

Veja, que ainda nem citamos o fator “segurança”, pois mesmo que seja utilizado apenas um acesso à Internet, é fundamental termos a certeza que somente às portas de redes necessárias e permitidas serão liberadas e trafegadas para os usuários internos, evitando, por exemplo, de que um conteúdo interno e sigiloso da empresa (que não está hospedado na nuvem) não seja de forma alguma hackeado ou corrompido.

O primeiro passo é possuir a visibilidade sobre a sua rede atual. É fundamental saber se atualmente a sua empresa possui os recursos necessários. Se a sua empresa, já estiver com dificuldades de tráfego na rede sem a migração para a nuvem, é sinal de que é necessário primeiramente resolver os problemas internos, antes de migrar parcialmente ou integralmente para um ambiente na nuvem. Com isto, adicionalmente, antes de qualquer intervenção, sua empresa já terá a noção e a constatação de que somente o que é necessário está sendo contratado, podendo proceder com o cancelamento de links de dados não necessários ou com a contratação de novos links de dados, caso estes sejam necessários, por exemplo.

De imediato, a aplicação TRAFip (disponibilizada pela Telcomanager) abrirá os olhos de sua empresa com relação ao que está sendo consumido na sua rede, através de relatórios precisos e gráficos sobre cada localidade e consumo de banda nos links.

Se estivermos falando de nuvem privada ou híbrida, sugerimos abortar completamente suas pretensões de migrar para o ambiente na nuvem! Esta afirmação pode parecer um pouco impactante, porém sua veracidade é constatada apenas através de uma pergunta: Se sua empresa localmente não possui visibilidade das informações sobre o tráfego de rede internamente, como sua empresa poderá ser tornar provedora de usuários externos? Com base nesta pergunta, existem outras, tais como: Como sua empresa garantirá que suportará tal quantidade X de usuários, se não possui a noção de qual tráfego atualmente é consumido e o quanto será acrescido após a migração para a nuvem? Após a migração para a nuvem, existirá a necessidade de contratar mais algum link de dados?

Com base nisto, a Telcomanager é uma empresa que está focada no mercado atual de TI, e possui aplicações que permitirá auxiliar a sua empresa para este passo tão importante, como a migração para um ambiente na nuvem.

Tela do resumo de uma rede nos sistemas da Telcomanager

Figura 2: Tela do resumo de uma rede nos sistemas da Telcomanager

Tendo a certeza de que sua rede internamente está operando como se deve, o segundo passo é dimensionar corretamente se sua rede suportará a migração para um ambiente na nuvem. Caso seja nuvem pública, é necessário identificar quanto a aplicação que será utilizada, necessitará de banda para ser utilizada, e com isto inicialmente calcular a quantidade de usuários x banda necessária. A aplicação TRAFip irá lhe auxiliar a chegar ao resultado. Se estivermos falando de nuvem privada ou híbrida, o resultado ainda é mais crítico, todavia a aplicação TRAFip também irá lhe auxiliar com evidências técnicas, através de relatórios precisos se sua rede suportará a migração para a nuvem privada ou híbrida!

Exemplos de gráficos em pizza dos sistemas da Telcomanager

Figura 3: Exemplos de gráficos em pizza dos sistemas da Telcomanager

O terceiro passo, após todo o dimensionamento ter sido realizado corretamente, é realizar a migração para o ambiente na nuvem e posteriormente realizar a manutenção de seu ambiente na nuvem. A manutenção por muitas das vezes é dispensada por diversas empresas, todavia, a manutenção é fundamental! Sem a manutenção sobre o que está sendo consumido na sua rede em um ambiente na nuvem, poderá haver prejuízos diretamente na linha de negócios da sua empresa, gerando custos desnecessários! Através da plataforma TRAFip, poderá ser visualizado diariamente, o que está sendo trafegado e consumido na sua rede, garantindo desta forma maior visibilidade e principalmente um maior retorno do investimento que está sendo realizado.

Outros exemplos de gráficos dos sistemas da Telcomanager

Figura 4: Outros exemplos de gráficos dos sistemas da Telcomanager

Um grande diferencial no TRAFip, que auxiliará na manutenção do seu ambiente na nuvem, é a criação de alarmes (que poderão ser enviados como TRAPs SNMP) para monitoração de uma aplicação quando esta exceder um certo percentual de banda consumida em todos os seus links, ou, caso um departamento venha consumir mais tráfego do que deveria em uma determinada aplicação, por exemplo. Isto facilitará no controle de recursos que estão sendo empregados pela sua empresa em seu ambiente na nuvem e garantirá que a política de TI empregada na empresa está sendo cumprida integralmente.

Descubra com a Telcomanager o que pode ser feito para ter o controle sobre o tráfego de sua rede e garantir que o seu ambiente está preparado para ser migrado para a nuvem.

Consulte-nos e venha descobrir uma forma inteligente de utilizar sua rede de dados, reduzindo custos e otimizando soluções. Com as soluções inteligentes e exclusivas da Telcomanager, isto é possível.

Topo ▲

Portuguese, Brazil