Brasil +55 21 3211 2223 /  Australia +61 2 8211 0697 / info@telcomanager.com

TRAFip - Perguntas Frequentes

P1. Quais sistemas operacionais são suportados pelo TRAFip ?

Os softwares da Telcomanager funcionam com um appliance denominado TelcoAppliance. Não é necessário adquirir ou instalar nenhum hardware ou sistema operacional para funcionar com o TRAFip. O appliance possui CLI (command line interface) que é utilizada para realizar todas as configurações necessárias para implementar o sistema corretamente.

Topo ▲

P2. O que é NetFlow ?

NetFlow é um protocolo desenvolvido pela Cisco que cria um cache na memória dos roteadores e switches para análise do tráfego que passa por esses dispositivos, inserindo no cache algumas informações sobre este tráfego, como:

  • Endereço IP de origem e de destino
  • Porta TCP/UDP de origem e de destino
  • Campo ToS
  • Interface de entrada
  • Protocolo de camada 4

Essas informações são chamadas de chaves de fluxo. Logo, se um pacote IP passa por um roteador contendo o mesmo conjunto de chaves de uma entrada no cache, o dado será atualizado. O dado armazenado para cada entrada de cache é o número de bytes e de pacotes. Essas informações podem ser extremamente valiosas se forem armazenadas e tratadas por ferramentas como o TRAFip, que é capaz de mostrá-las sobre diferentes perspectivas.

Hoje, muitos fabricantes diferentes como a Juniper, Huawei, Enterasys, entre outros, implementaram o NetFlow ou protocolos similares como funcionalidades nativas de seus roteadores e switches.

Os softwares da Telcomanager funcionam com um appliance denominado TelcoAppliance. Não é necessário adquirir ou instalar nenhum hardware ou sistema operacional para funcionar com o TRAFip. O appliance possui CLI (command line interface) que é utilizada para realizar todas as configurações necessárias para implementar o sistema corretamente. Saiba mais sobre NetFlow clicando aqui.

Topo ▲

P3. O TRAFip pode automaticamente reconhecer novos dispositivos exportadores de fluxo ?

Sim. Considerando que o dispositivo está configurado para exportar fluxos para o TRAFip, você pode acessar através do menu Sistema-> Diagnósticos -> Exportadores e verificar a lista de dispositivos que estão atualmente exportando fluxos para o TRAFip.

Topo ▲

P4. Eu já configurei uma nova aplicação no TRAFip, mas não consigo visualizá-la na legenda do gráfico de aplicações de um determinado grupo de interfaces ou subredes.

Antes que qualquer nova aplicação possa ser visualizada em um perfil associado a um grupo de interfaces ou subredes, por exemplo, é necessário que a aplicação já esteja associada a um determinado perfil. Para fazer isso, entre em Configurações -> Perfil de Tráfego, edite a opção de Aplicações, e selecione a aplicação já configurada ao perfil.

Topo ▲

P5. Quanto tráfego adicional o protocolo NetFlow vai inserir na minha rede, considerando que o NetFlow esteja habilitado nos dispositivos e que a rede esteja exportando fluxos para o TRAFip ?

Isto realmente depende das características do seu tráfego, desde que o NetFlow agregue informações baseadas em algumas chaves como endereço IP de origem, endereço IP de destino, portas TCP/UDP de origem e destino. Portanto quanto maior a variação dessas chaves no seu tráfego, maior será o tráfego NetFlow. Nossa experiência diz que para uma rede enterprise típica, o tráfego em um link de rede aumenta entre 1 a 5% devido ao tráfego NetFlow.

Topo ▲

P6. Qual o impacto na CPU do roteador quando o protocolo NetFlow está habilitado ?

Isto depende das características de cada fabricante. A Cisco, por exemplo, disponibiliza
um documento com o benchmark para alguns de seus equipamentos. Baseado em nossa
experiência, podemos dizer que se a CPU não está sobrecarregada, é seguro habilitar o NetFlow, uma vez que ele geralmente representa um incremento de 1 a 2% na utilização da CPU. Se a CPU do roteador já estiver mostrando uma alta utilização, amostras do NetFlow podem ser usadas como alternativa.

Topo ▲

P7. O TRAFip é adequado para monitorar o tráfego em redes MPLS ?

Sim, o TRAFip se ajusta perfeitamente quando falamos de redes MPLS, porque o sistema é capaz de receber dados via NetFlow de todos os roteadores da rede, filtrar tráfego duplicado e mostrar análises da matriz de tráfego entre localidades da rede.

Topo ▲

P8. Por quanto tempo o TRAFip é capaz de armazenar as informações como gráficos e detalhes dos registros do NetFlow ?

Geralmente, o Appliance é projetado para armazenar pelo menos dois anos de dados processados, usados para construir gráficos, alguns relatórios e 3 meses de registros de fluxos detalhados. Mas isso depende dos seguintes fatores:

  • 1 – Da capacidade do disco de armazenamento dos appliances, que pode ser verificada no menu Sistema -> Diagnósticos -> Uso de Disco.
  • 2 – Do total de dados gerados a cada dia para cada tipo de dados. Isso também pode ser verificado no mesmo menu.
  • 3 – A configuração de armazenamento para cada base de dados, que pode ser configurada em Sistema -> Parâmetros -> Uso de Disco.

Topo ▲

P9. O TRAFip é capaz de gerar relatórios de utilização do QoS ?

Sim. A análise QoS pode ser realizada utilizando o objeto ToS (Type of Service) disponível no TRAFip.

Topo ▲

P10. É possível analisar o tráfego dos servidores com o TRAFip ?

Sim, esta análise pode ser realizada criando um objeto subrede com máscara de 32 bits. Ex: 10.0.0.1/32. Se você aplicar perfis de tráfego neste objeto, esse tráfego pode ser mostrado sobre perspectivas diferentes, como aplicações, localidades de origem e destino, classes de serviço e assim por diante.

Topo ▲

Portuguese, Brazil