Você sabe o que é FCAPS? Muitas vezes negligenciado pela área acadêmica, porém de suma importância. Afinal, não é novidade a importância da rede de computadores para as empresas. 

O FCAPS é uma forma simples de dividir a gerência de redes em cinco áreas funcionais. Ao passo que cada letra representa uma área de atuação. 

  • Fault – Falha
  • Configuration – Configuração
  • Accounting – Contabilização
  • Performance – Desempenho
  • Security – Segurança

Essas classificações foram estabelecidas pela ISO 7498-4. Assim, sendo desenvolvido como um complemento para o conhecido modelo OSI. 

Analogamente, assim como uma das funções da criação do modelo OSI, o FCAPS pode ser usado como um facilitador para o entendimento das tarefas do gerenciamento de redes. 

CENÁRIO

Imagine uma empresa com um parque de informática: centenas de estações de trabalho e dezenas de dispositivos intermediários.

Vamos pensar em um primeiro momento que essa infraestrutura possui baixo nível de gerenciamento. Ou seja, a sua manutenção será apenas reativa. Com isso, ocasionando em diversos momentos, perdas de disponibilidade. Assim como um alto tempo de resolutividade.

Agora, imagine os diversos problemas que a equipe de TIC está passando, visto que inclusive estão impactando nos resultados da empresa. Logo, foi decidido o investimento em gerenciamento de redes.

A princípio, o foco é em gerenciamento de falhas e desempenho. Com isso, a equipe de TIC adquiriu maior controle sobre o funcionamento da rede. Porém, não foi suficiente garantir apenas que a rede esteja funcionando. 

Todavia, é importante saber como a infraestrutura está sendo usada. Diante desse cenário, é aplicado a gerência de contabilização. Posteriormente, promovendo visibilidade da rede atribuindo a equipe de TIC uma capacidade de planejamento.

Como vimos, os técnicos da empresa passam por sérias dificuldades. Primordialmente, quando necessitam atualizar ou alterar alguma configuração de algum elemento da rede. Portanto, eles não têm registro algum do inventário da rede. Logo, a aplicação da gerência de configuração permitirá a equipe de TIC um maior controle de todos os ativos da rede. Assim como, suas conexões, versionamento de configurações e provisionamento de ativos. 

Por fim, mas não menos importante, temos o gerenciamento de segurança. A informação é o ativo mais valioso para qualquer empresa. Logo, rotinas que busquem garantir a disponibilidade, confidencialidade e integridade das informações serão cruciais para a continuidade do negócio.

Vamos aprofundar um pouco mais as áreas funcionais:

GERÊNCIA DE FALHAS

Falha é uma anormalidade no comportamento da rede que exija alguma intervenção. Assim sendo, uma falha pode ser causada por uma sequência de erros. 

O gerenciamento de falhas tem como foco determinar com precisão o elemento que ocorreu a falha. Desse modo deve-se isolar o problema do restante da infraestrutura. Assim minimizando o impacto e facilitando o reparo.

Para isso é importante um uso de uma ferramenta que permita o monitoramento dos ativos. Logo, com esse recurso será possível a configuração de alarmes para rápida identificação de discrepâncias. Assim como análise de tendências com foco na prevenção de erros.

A agilidade é crucial, quanto antes a falha for detectada menor o seu impacto para o negócio. Assim a equipe de TIC deve buscar resolver as falhas antes que as mesmas sejam percebidas. Para isso também é recomendado investimento em redundância e equipamentos tolerantes a falha. 

GERÊNCIA DE CONFIGURAÇÃO

Uma rede estruturada precisa estar pronta para o seu crescimento. Ou seja, ser escalonável, a tecnologia e o mercado corporativo exigem agilidade.

A gerência de configuração tem como propósito inventariar a rede. Desse modo descobrindo e monitorando as configurações dos objetos. Assim orquestrando mudanças de configurações de grande quantidade de ativos com a agilidade devida. 

Apesar do FCAPS separar as áreas funcionais isso não quer dizer que não sejam correlatas. Desse modo, erros de configuração podem ser a origem de uma falha. Logo o uso de uma ferramenta de gerência de configuração deve auxiliar na sua padronização. Assim criando versionamentos, definição de alarmes para mudanças e automatizações.  

GERÊNCIA DE CONTABILIZAÇÃO

Como a rede está sendo utilizada? Quanto e por quem está sendo usada? 

Essas são as principais perguntas que a gerência de contabilização irá responder. Sobretudo com auxílio de ferramenta que proporcione caracterização de tráfego. Desse modo, a equipe de TIC terá acesso a informações que garantam visibilidade estratificada do uso da rede.

Essas informações podem vir em forma de relatórios e gráficos. Com isso elevando o nível de gerenciamento da rede para um patamar estratégico. Assim, auxiliando na governança da infraestrutura.

Outro nome dado a gerência de contabilização é gerência de faturamento. Pelo fato da visibilidade de quanto cada setor usa da infraestrutura de rede será determinante para o rateio de custos.

A estratificação do uso da rede pode ser separada por diversos itens. Bem como o uso por aplicações, sub-redes, protocolos dentre outros. Com isso, promovendo elevado nível de conhecimento do uso da infraestrutura e respondendo às perguntas feitas inicialmente. 

GERÊNCIA DE DESEMPENHO

O gerenciamento de desempenho visa a eficiência do ambiente de rede. Assim, buscando o cumprimento do nível de serviço com a otimização do uso de recursos. Através da avaliação de parâmetros, dentre eles: utilização de recursos de hardware, latência, jitter e troughput.

Com uma ferramenta de monitoramento em tempo real, as estatísticas geradas serão de suma importância para o auxílio de ações preventivas e corretivas. Assim como para o planejamento em relação a mudanças necessárias na infraestrutura. Dessa forma, garantindo o nível de serviço preestabelecido. 

Mais uma vez um alarme pode ser configurado para cada um dos parâmetros estabelecidos. Desse modo, indicando uma alteração sensível de desempenho. Assim como citado anteriormente, sobre a existência da correlação entre as áreas funcionais, observamos que uma falha pode causar um problema de desempenho.

GERÊNCIA DE SEGURANÇA

Responsável por controlar para que os recursos estejam disponíveis apenas para usuários autorizados. Buscar de forma contínua mitigar as vulnerabilidades da infraestrutura e gerenciar as possíveis ameaças.

A gerência de segurança dentre as áreas funcionais é a que possui o maior número de ferramentas específicas. Bem como softwares de proteção, criptografia, controle de acesso, armazenamento de logs e dentre outros.

Porém, uma contribuição importante vem do monitoramento da rede. Sobretudo relativos à detecção de tráfego anormal que pode ser proveniente de um ataque. Tanto em relação à quantidade de banda utilizada quanto a tipificação do tráfego. Assim com a rápida detecção, o ofensor poderá ser bloqueado evitando danos maiores a infraestrutura.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Neste sentido, não há dúvidas da importância do investimento no gerenciamento da rede. Assim sendo, trará não apenas benefícios para otimizar o funcionamento da infraestrutura da empresa, como também influenciará positivamente na sua governança corporativa.

Pensando nisto, a Telcomanager com mais de 17 anos de experiência no mercado, líder da América Latina no setor de software para gerência de redes, com uma metodologia única e inovadora, disponibiliza soluções inteligentes no monitoramento de dados que irão prover visão estratificada do tráfego, permitindo que a sua empresa acompanhe os principais aspectos de sua rede em tempo real.