Qual o significado de ajudar clientes para você? Imagine o seguinte cenário… Um órgão público havia contratado um link de dados com uma Operadora de 50Mbps, porém, misteriosamente, só podia usufruir de 35Mbps, ou seja, 15Mbps desapareciam.

Para piorar a situação, a operadora enviou um gráfico de sua ferramenta, comprovando que de fato, estava entregando 50Mbps. E agora?

Usuários de vários departamentos, gerentes, diretores, a pressão de uma instituição pública inteira girava ao redor da equipe de Tecnologia. A equipe de TI entrou em total desespero e as respostas para as perguntas abaixo vinham como incógnitas que aumentavam a aflição…

Como podemos identificar em quais pontos específicos da rede poderiam ocorrer o desperdício de banda, sem ter as ferramentas de rede adequadas?

Como justificar a contratação de novos links perante a Comissão pública, sem ter o embasamento técnico necessário para tal?

Qual ação tomar? O que fazer?

A pressão para uma solução imediata era tanta que não restava alternativa para o cliente a não ser proceder com a contratação de novos links de dados. Ou seja, mais despesas e mais alocação de recursos públicos. E o receio de não ter como justificar e o problema continuar persistindo?

Pois é, o cliente se encontrava em um “beco sem saída”.

De um lado, a pressão de uma instituição pública inteira para a solução de um problema e, do outro lado, a falta de informações técnicas para justificar uma nova contratação.

E o que fazer quando houver uma auditoria? Auditoria?! Você pode imaginar… Isso mesmo!

Provavelmente você já deve saber do que se trata, todavia, vamos recapitular resumidamente para você entender ainda mais a preocupação do cliente.

No Brasil, em todos os órgãos públicos existem auditorias que verificam possíveis inconsistências em determinados tipos de contratos. Tais auditorias podem ser realizadas até mesmo pelo próprio Tribunal de Contas da União (TCU), o que faz com que o órgão público necessite ter um embasamento concreto das suas reais necessidades que justifiquem a alocação de verbas pública para determinadas demandas.

Resumindo: Não comprovou o gasto feito? O Contrato pode ser cancelado, e os responsáveis serem penalizados.

Agora você pode imaginar o tamanho da apreensão do cliente. Antes dele jogar a toalha e tomar uma ação sem embasamento técnico, ele conheceu a solução TRAFip da Telcomanager. Pensou o cliente:

Bom, não custa tentar né? Se não resolver meus problemas, pelo menos, eu tentei algo a mais do que podia.

A ferramenta TRAFip foi implementada e a mesma permaneceu monitorando a rede por 2 horas, enquanto isto, todos foram almoçar. Após o retorno do horário de almoço, em apenas 15 minutos o problema foi detectado!

Você não leu errado, em apenas 15 minutos, um problema que estava causando enorme desgaste para o cliente foi identificado.

A ferramenta TRAFip rapidamente identificou que a rede Wi-fi não estava com limitação de 10Mbps disponível para ser utilizada, e sim com limitação de 25Mbps.

Foi o primeiro susto do cliente:

Como assim? Não há como isso estar errado, a nossa equipe técnica havia validado!

Ele pediu então para verificar e ao analisar o servidor linux que fazia a divisão, identificou o erro nos scripts pré-configurados.

Foi o segundo susto do cliente:

Não acredito! Realmente, os scripts no servidor estavam errados.

Apenas fazendo um parêntese, na prática, o cliente só conseguiu identificar o erro no servidor, graças à inteligência da ferramenta TRAFip que permitiu realizar a monitoração do tráfego usando sub-redes, em vez de monitorar a quantidade de tráfego em uma interface.

Imagina até aí o tamanho do alívio do cliente.

Se não bastasse isso, a ferramenta TRAFip ainda conseguiu mostrar que 90% de todo o tráfego da rede Wi-fi era utilizado por 3 endereços IPs, e estes endereços estavam realizando downloads em redes peer to peer.

Este foi o terceiro susto do cliente! E na sequência, um alívio e uma paz sem tamanho.

Feitas as devidas correções, o problema foi resolvido rapidamente, sem precisar gastar mais nenhum centavo de recurso público.

Tanto receio, apreensão, medo de fato, por soluções tão simples que sem visibilidade alguma, haviam se tornado problemas gigantescos!

O contentamento do cliente e o alívio por ter tirado um enorme peso das costas foi tanto, que fez com que ele nos olhasse nos olhos e dissesse mesmo que não exatamente com essas palavras, mas neste sentido:

Muito obrigado! Vocês não tem noção do quanto vocês me ajudaram.

E isso, para nós, é o mais gratificante de tudo! Saber que o nosso produto fez com que o medo e a angústia que o nosso cliente tinha fosse extinguida. É para isso que desenvolvemos nossa solução. Este é o principal objetivo nosso.

Obs: Ah, e a Operadora também, só faltou nos enviar uma caixa de bombom agradecendo pela ajuda, pois graças a ferramenta TRAFip, o cliente realmente constatou que a Operadora estava falando a verdade desde do início. Isso também aumentou o nível de relacionamento deles com o cliente. 